Capítulo 03. Ação Gênica

1. Nucleotídeos

Em 1870, Miescher isolou substâncias que tinham caráter ácido e eram formadas por carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e fósforo, no núcleo de células presentes no pus. Tais substâncias foram chamadas de ácidos nucleicos. Sabe-se que elas estão relacionadas com o controle da atividade celular e com os mecanismos da hereditariedade.

Os ácidos nucléicos são formados pela união de nucleotídeos. Outras macromoléculas orgânicas são constituídas por unidades mais simples: as proteínas, por aminoácidos e os polissacarídeos, por açúcares simples, como a glicose. Cada nucleotídeo tem três subunidades: um grupo fosfato, uma pentose e uma base nitrogenada.

 

 

O grupo fosfato se origina do ácido fosfórico (H3PO4). Há duas pentoses que podem participar da estrutura dos nucleotídeos: a ribose (C5H10O5) e a desoxirribose (C5H10O4). As bases nitrogenadas possuem estrutura em anel, com átomos de nitrogênio na molécula. Classificam-se em bases púricas (adenina e guanina) e bases pirimídicas (citosina, timina e uracila).

 

 

A quebra parcial dos nucleotídeos, com a retirada do   grupamento    fosfato,    resulta    em   compostos

formados por uma pentose e por uma base nitrogenada. São os nucleosídeos.

Nos seres vivos, há 2 tipos de ácidos nucleicos: o ácido desoxirribonucléico (DNA ou ADN) e o ácido ribonucléico (RNA ou ARN) com funções distintas. O DNA é encontrado nos cromossomos, dirige a síntese das enzimas e, desta forma, controla as atividades metabólicas da célula. O RNA transfere as informações do DNA para os ribossomos, onde as enzimas e outras proteínas são produzidas.

 

2. O Ácido Desoxirribonucléico

Quando um vírus bacteriófago ataca uma bactéria, apenas seu DNA penetra na célula hospedeira, enquanto sua capa protéica permanece aderida à membrana. Novos vírus surgem no interior da bactéria, demonstrando que o DNA contém as informações necessárias para a produção de novos vírus, comandando a formação de mais DNAs e de novas capas protéicas. Isso evidencia o papel do DNA como base química do material genético.

Para que uma molécula possa agir como portadora das informações genéticas, deve satisfazer algumas condições.

1) Conter grande quantidade de informações, passando-as de geração a geração.

2) Fazer cópias de si mesma, uma vez que as informações são passadas às células-filhas.

3) Ter mecanismos para transformar as informações em ação, controlando a atividade celular.

4) Eventualmente, sofrer pequenos "enganos", os quais devem ser copiados fielmente e passados aos descendentes. Esse processo é a base das mutações e da evolução.

O DNA cumpre todas essas exigências. É bastante grande e complexo, podendo conter enorme quantidade de informações. Pode se autoduplicar, gerando cópias perfeitas de si mesmo. Comandando a síntese das enzimas, controla o metabolismo celular.   Sofre,   algumas  vezes,  alterações  em  sua

 


38
  Capítulo 03. Ação Gênica 38