Capítulo 03. Ação Gênica


O código genético é constituído por 64 códons.

As letras A, G, C e U representam respectivamente: adenina, guanina, citosina, e uracila.

 

5. Propriedades do Código Genético

Uma das propriedades do código genético é conseqüência do fato de existirem 64 códons para a codificação de 20 aminoácidos no mecanismo de síntese de proteínas.

Observe que existem aminoácidos como a metionina (met) e o triptofano (tri), que são codificados por um único códon.

 

 

Existem aminoácidos que são codificados por dois ou mais códons, situação que denominamos código genético degenerado.

Essa expressão “código genético degenerado” significa que um mesmo aminoácido pode ser codificado por mais de um códon, mas o contrário não ocorre.

Não existe ambigüidade no código genético, porque um mesmo códon não codificará dois aminoácidos diferentes ao mesmo tempo.


 

Pelo fato de o código genético ser degenerado, isto é, dois ou mais códons codificando um mesmo aminoácido, nem sempre uma mutação no material genético (DNA) provocará alteração na seqüência de aminoácidos de uma proteína.

Veja o esquema a seguir:

 

Se ocorrer uma mutação alterando o 2o nucleotídeo desse códon: (trocando “U” por “A”)

 

 

Na estrutura primária da proteína que está sendo sintetizada, ocorrerá a substituição do aminoácido fenilalanina por cisteína, mudando a seqüência e o tipo de aminoácido na estrutura primária da proteína.

Como conseqüência também se mudariam a estrutura terciária e a função (biológica) dessa proteína.

Mas se, por exemplo, a mutação provocar uma alteração no 3o nucleotídeo do códon UUU, substituindo a 3a uracila por citosina, a seqüência de aminoácidos na proteína não sofrerá alteração pelo fato de o código genético ser degenerado para esse aminoácido.


45
  Capítulo 03. Ação Gênica 45