Capítulo 06. Lentes Esféricas

Façamos, agora, incidir um pincel de luz monocromática numa lente esférica, de tal modo que o pincel de luz emergente seja cilíndrico e paralelo ao eixo principal. Para tanto, na lente convergente, ele deverá ser um pincel cônico divergente.

 





O ponto do eixo principal que coincide com o vértice do pincel cônico divergente é o foco principal objeto (Fo) da lente convergente.

A fim de obter um pincel de luz emergente cilíndrico na lente divergente, o pincel de luz incidente deverá ser cônico convergente.





O ponto do eixo principal que coincide com o vértice do pincel cônico divergente é o foco principal objeto da lente divergente.

Portanto, uma lente esférica apresenta dois focos principais: o foco principal objeto (F0) e o foco principal imagem (Fi).






II. Centro óptico

No caso de uma lente delgada, o centro óptico é encontrado pela intersecção da lente com o eixo óptico. O raio de luz que passa pelo centro óptico, ao ser refratado, não sofre desvio angular nem lateral. Uma reta que passe pelo centro óptico O é chamada de eixo secundário.



59
  Capítulo 06. Lentes Esféricas 59