Capítulo 07. Lançamento de Projéteis
1. Lançamento Horizontal

1.1. Introdução

Quando lançamos horizontalmente um corpo, com uma velocidade inicial () a partir de uma certa altura do solo, notamos que ele descreve uma trajetória curva em seu vôo até o solo. Se a resistência do ar for desprezível, esta curva será um arco de parábola.





Galileu decifrou este movimento usando o artifício da composição de movimentos. Observe seu raciocínio:

a) se no local do lançamento não houvesse gravidade e nem resistência do ar, o corpo seguiria horizontalmente em movimento retilíneo uniforme, percorrendo distâncias iguais em intervalos de tempo iguais.

b) como há gravidade, o corpo cairá simultaneamente em queda livre, ou seja, realizará um M.U.V. vertical, e ao mesmo tempo, um M.U. horizontal. A composição desses dois movimentos gera o movimento parabólico.



1.2. Cálculos Básicos

Considere um objeto disparado de uma altura h com velocidade horizontal . Sob a ação exclusiva da gravidade (g), o objeto toca o solo após um certo tempo de queda (t) cumprindo um alcance horizontal (D).


Este alcance corresponde ao deslocamento do movimento uniforme que ocorre na horizontal, com
x = 0 , ao mesmo tempo que o objeto despenca em queda livre vertical descendo h. A partir disso, temos:






A velocidade que o móvel atinge em seu vôo parabólico, após um certo tempo (t) do disparo, é obtida pela adição vetorial de suas velocidades componentes, isto é:




Em módulo, temos:

50
  Capítulo 07. Lançamento de Projéteis 50