Capítulo 01. Introdução à Química Orgânica

Em 1777, o cientista Torben Olof Bergman empregou pela primeira vez o termo Química Orgânica. Esta era considerada como a Química dos produtos de origem dos organismos vivos, animal ou vegetal, enquanto a química Inorgânica era a química que estudava os compostos extraídos do reino mineral.

No início do século passado, Jons Jacob Freiherr Von Berzelius sugeriu a teoria da Força Vital. Acreditava-se que os organismos vivos (plantas e animais) continham uma “força vital” que caracterizava todos os compostos produzidos por eles. Deste modo, não se admitia a possibilidade de compostos orgânicos virem a ser sintetizados em laboratório. Berzelius justificava tal fato afirmando que compostos orgânicos só eram obtidos pela ação da força vital, e que esta só podia estar relacionada à célula viva.

O químico alemão Friedrich Wöhler, discípulo de Berzelius, em 1828, aquecendo cianato de amônio, obteve, em laboratório, a substância uréia, um composto considerado na época tipicamente orgânico (existe na urina), embora não houvesse a interferência de um organismo vivo que lhe transferisse a “força vital”.

Síntese de Wöhler





A síntese de Wöhler foi a primeira grande prova contra a teoria da Força Vital, deixando claro que os compostos

orgânicos não precisam necessariamente ser obtidos só a partir de organismos vivos.

Procurou-se, então, um novo conceito para a Química Orgânica. E, em 1848, Leopold Gmelin chamou a atenção para o fato de que todos os compostos orgânicos até então descobertos continham carbono; por isso, em 1859, August Kekulé define a Química Orgânica como a parte da Química que estuda os compostos do elemento carbono.

A Química Orgânica é a química dos corantes e produtos farmacêuticos; do papel e da tinta de escrever; das tintas, dos vernizes e dos plásticos; da gasolina e da borracha; dos produtos alimentícios e de vestuário. O estudo dos processos biológicos pertence, em última análise, à Química Orgânica.

Como o carbono é a unidade fundamental dos compostos orgânicos, torna-se necessário um conhecimento mais profundo desse elemento para que possamos entender a Química Orgânica.


1. O Estudo do Carbono

A estrutura dos compostos orgânicos começou a ser desvendada a partir da segunda metade do século XIX com as idéias de Couper e de Kekulé sobre o comportamento químico do carbono. Essas idéias são hoje conhecidas como postulados de Kekulé – a base da Química Orgânica.

I. Primeiro Postulado

O átomo de carbono é tetravalente

Nos compostos orgânicos, o átomo de carbono pode estabelecer até quatro ligações com outros átomos, isto é, o carbono é tetravalente.

7
  Capítulo 01. Introdução à Química Orgânica 7