Capítulo 06. Bioenergética

II. O Ciclo de Krebs


 

Essa etapa da respiração ocorre no interior das mitocôndrias, na região denominada matriz mitocondrial.

O ciclo de Krebs também é conhecido por ciclo do ácido cítrico ou ciclo dos ácidos tricarboxílicos.

Continuando as reações que começaram com a oxidação da glicose na glicólise, as principais etapas desse ciclo metabólico são reações de desidrogenações, descarboxilações e formação de ATP.

As desidrogenações são caracterizadas pela remoção dos átomos de hidrogênio dos compostos intermediários do ciclo e pela formação do NADH2 e FADH2, que participarão da etapa seguinte – a cadeia respiratória.

As descarboxilações são caracterizadas pela remoção de carbono, na forma de CO2, dos compostos intermediários do ciclo.

Em uma das etapas do ciclo, a energia liberada é suficiente para formação de ATP.


Cada volta do ciclo de Krebs é movimentada por uma molécula de acetil-CoA. Após as etapas resumidas acima, os átomos de carbono são liberados como CO2 e os átomos de hidrogênio são recolhidos pelo NAD (nicotinamida – adenina – dinucleotídeo) e pelo FAD (flavina-dinucleotídeo), e transformados em NADH2 e FADH2. Uma molécula de ATP é produzida na passagem do ácido cetoglutárico para ácido succínico.

Como uma molécula de glicose origina duas moléculas de acetil-CoA, ela permite dar duas voltas no ciclo de Krebs, originando quatro moléculas de CO2 , seis moléculas de NADH2, duas moléculas de FADH2 e 2 moléculas de ATP.

Como duas moléculas de CO2 já haviam sido liberadas na transformação do ácido pirúvico em acetil-CoA, totalizam-se seis moléculas de CO2.

Todas as etapas do ciclo de Krebs ocorrem graças às enzimas presentes na matriz mitocondrial.


72
  Capítulo 06. Bioenergética 72