Capítulo 09. Aceleração Vetorial
4.3. Movimento Circular Uniforme


A velocidade tem intensidade constante, pois o movimento é uniforme. Logo, não possui aceleração tangencial. Entretanto, sua velocidade varia em direção (pois a trajetória é curva), ou seja, sua aceleração vetorial é centrípeta.


 
4.4. Movimeto Circular Uniformemente Variado


Pelo fato de a velocidade variar tanto em intensidade quanto em direção, esse movimento possui aceleração tangencial e aceleração centrípeta, sendo a aceleração vetorial do movimento a resultante de e . Ou seja:


Como é perpendicular a , temos:

 

Exercícios Resolvidos

01. Uma partícula move-se em trajetória circular de raio 2m, com velocidade angular constante de 2 rad/s.

a) Qual o ângulo entre os vetores velocidade e aceleração da partícula num certo instante?

b) Quais as intensidades dos vetores velocidade e aceleração da partícula?

Resolução


a) Como se trata de um movimento circular uniforme, a sua aceleração é centrípeta. Logo, o ângulo entre os vetores velocidade (tangente à trajetória circular) e aceleração (radial) é 90°.

b)

    


02. Um ponto material move-se em trajetória circular de raio igual a 20 m, em movimento uniformemente acelerado. No instante t = 0, o módulo de sua velocidade vale 5,0 m/s e, 1,0 s após, vale 10 m/s.

Determine o módulo do vetor aceleração no instante t = 1,0 s.

Resolução


Vamos, inicialmente, obter as intensidades das componentes da aceleração vetorial para t = 1,0 s:

1) O módulo do vetor aceleração tangencial é constante e dado por:


2) O módulo do vetor aceleração centrípeta, no instante t = 1,0 s, é dado por:


O módulo do vetor aceleração instantânea é dado por:

   


65
  Capítulo 09. Aceleração Vetorial 65