Capítulo 09. Aceleração Vetorial

03. Com relação à aceleração vetorial de uma partícula, assinale verdadeiro (V) ou falso (F) para as frases abaixo.

01 – Num movimento com trajetória retilínea, a aceleração é constante.

02 – Nos movimentos retilíneos e uniformemente variados, a aceleração é nula.

04 – Nos movimentos circulares e uniformes, o vetor aceleração é constante.

08 – Nos movimentos curvos, a aceleração é nula.

16 – Quando o módulo da aceleração centrípeta é constante, o movimento é retilíneo.

32 – Todo movimento uniforme é desprovido de aceleração.

Resolução

01 – (F) – Nos movimentos retilíneos, a aceleração centrípeta é nula e, portanto, a aceleração vetorial resume-se à aceleração tangencial. Se o movimento for uniforme, a aceleração será constantemente nula. Se o movimento for uniformemente variado, a aceleração será constante e diferente de zero. Se o movimento for variado, a aceleração vetorial não será constante.

02 – (F) – Nos movimentos uniformemente variados e retilíneos, a aceleração vetorial resume-se à aceleração tangencial, que é constante e não-nula.

04 – (F) – Nos movimentos circulares, a aceleração centrípeta varia em direção.

08 – (F) – Nos movimentos curvos deve existir aceleração centrípeta.

16 – (F) – Para que o movimento seja retilíneo, a aceleração centrípeta deve ser constantemente nula.

32 – (F) – No movimento uniforme em trajetória circular (MCU) a aceleração vetorial é não-nula ( ). Para não haver aceleração, o movimento uniforme tem que ser retilíneo.



66
  Capítulo 09. Aceleração Vetorial 66