Capítulo 08. Movimento Circular Uniforme

Caso os raios das rodas sejam diferentes, suas velocidades angulares e, portanto, suas freqüências serão diferentes. Isso ocorre pelo fato de os pontos da periferia de cada roda terem a mesma velocidade linear (). Observe a demonstração a seguir, tomando por base as rodas A e B esquematizadas acima.

    

Como o produto f.R é o mesmo para as duas rodas, quanto maior for o raio da roda, menor será sua freqüência, ou seja, a freqüência de cada roda é inversamente proporcional ao seu raio.

9.2. Por Correia ou Corrente

Quando uma roda girante é ligada a uma outra roda através de uma correia que as contorna perifericamente, ela transmite sua velocidade linear () periférica à outra pela correia (elemento transmissor). Nesse arranjo, as rodas giram no mesmo sentido.

  

Pelo fato de as rodas envolvidas pela correia possuirem a mesma velocidade linear periférica, chega-se à mesma relação raio-freqüência do caso anterior, isto é:

É importante salientar que em ambos os casos de transmissão costumam-se usar rodas dentadas (engrenagens) cujos dentes se acoplam entre si quando em contato ou se encaixam nos elos da corrente de ligação, para não haver deslizamento ou escorregamento.

 

Exercícios Resolvidos

01. Duas polias A e B, ligadas por uma correia, têm, respectivamente, 20 cm e 10 cm de raio.

   

Se a freqüência com que A gira é 30 rpm:

a) qual a freqüência da polia B ?

b) qual a velocidade linear da correia em cm/s ?

(Adote = 3)

Resolução

a) 

b) 


60
  Capítulo 08. Movimento Circular Uniforme 60