Capítulo 04. Geradores Elétricos

Como U = U1 + U2 + U3 + U4, então

U = E1 – r1 · i + E2 – r2 · i + E3 – r3 · i + E4 – r4 · i

U = E1 + E2 + E3 + E4 – (r1 + r2 + r3 + r4) · i (I)


Para o gerador equivalente, temos:

U = Eeq – req · i (II)

De (I) e (II) concluímos:





 

13. Geradores em Paralelo


Devemos tomar cuidado ao associar geradores em paralelo, devendo fazê-lo somente com geradores de mesma fem E e mesma resistência interna r, caso contrário, dependendo dos valores das fem, alguns geradores podem funcionar como receptores de energia, ao invés de fornecê-la.

Vamos considerar somente geradores idênticos (E, r) para manter a associação e, nesse caso:

– devemos ligar pólo positivo com pólo positivo e pólo negativo com pólo negativo.
– seus terminais estarão ligados aos mesmos nós.


 

Como, em cada gerador, temos:



ou, ainda,                (I)


No gerador equivalente, temos:

U = Eeq – req · i (II)

de (I) e (II), concluímos:

Eeq = E      e     req =
(paralelo)         (paralelo)


Podemos generalizar para n geradores idênticos (E, r):

 
Importante


A vantagem de associarmos geradores em paralelo é que, reduzindo a corrente elétrica em cada gerador da associação, estamos aumentando o seu rendimento, pois há uma diminuição da potência dissipada internamente.


14. Associação Mista de Geradores


Combinando geradores em série e em paralelo, obtemos uma associação mista.

O gerador equivalente será obtido calculando-se, passo a passo, as fem e resistências internas das associações em série e em paralelo e transformando-se a associação até obtermos um único gerador, que é o equivalente da associação.


40
  Capítulo 04. Geradores Elétricos 40