Capítulo 07. Óptica da Visão
Exemplo

Consideremos um míope cuja distância máxima de visão distinta seja 50 cm. A distância focal da lente é – 50 cm ou – 0,5 m; logo, a vergência


2.2. Hipermetropia

A hipermetropia é uma anomalia em razão de um encurtamento do globo ocular, fazendo com que a imagem de um objeto se forme atrás da retina. Para que uma pessoa hipermetrope possa ver um objeto no infinito ela precisa realizar esforço de acomodaçao. É um defeito oposto à miopia.


Para o olho hipermetrope ocorre um afastamento do ponto próximo, que passa a situar-se a uma distância superior a 25 cm.

A correção da hipermetropia é realizada com lente convergente. A lente convergente (lente corretora), colocada na frente do cristalino, deve associarse, a um objeto colocado a 25 cm do olho, uma imagem situada no ponto próximo do olho.
 

A convergência da lente corretora é dada por:

Consideremos um hipermétrope cuja distância mínima de visão distinta seja 50 cm, isto é, esse hipermétrope lê jornal a 50 cm de seus olhos. A distância focal de suas lentes corretivas será :

p = 25 cm
p’ = – 50 cm (imagem virtual e direita no ponto próximo hipermétrope)




2.3. Astigmatismo

O astigmatismo refere-se ao defeito no qual a superfície da córnea não é esférica, sendo mais curva em um plano que em outro. Como resultado, linhas horizontais tem suas imagens formadas em planos diferentes das imagens de linhas verticais. O astigmatismo torna impossível, por exemplo, focar claramente as barras horizontais e verticais de uma janela, simultaneamente.

 


Trata-se, portanto, de uma falta de simetria de revolução em torno do eixo óptico. A correção é feita com o uso de lentes cilíndricas capazes de compensar tais diferenças entre os raios de curvatura.

75
  Capítulo 07. Óptica da Visão 75