Capítulo 02. Dilatação Térmica

5. Dilatação Volumétrica

Para nosso estudo, consideraremos aqui um sólido metálico cúbico de volume inicial V0 na temperatura inicial 0 .

Seja V0 o volume na temperatura 0 e, V, o volume na temperatura θ.

em que V é a variação de volume.

Sendo V diretamente proporcional ao volume e diretamente proporcional à variação de temperatura temos: .

Em que é uma constante de proporcionalidade denominada coeficiente de dilatação volumétrica.

A unidade usual de é :

Da expressão matemática como temos:

Para variações de temperatura não muito elevadas, o coeficiente de dilatação volumétrica é praticamente igual ao triplo do coeficiente de dilatação linear.

Exercícios Resolvidos

01.Uma estatueta de ouro foi aquecida de 25°C a 75°C, observando-se um aumento de 2,1 cm3 em seu volume. Sendo 14 · 10 –6 °C–1 o coeficiente de dilatação linear do ouro, qual era o volume inicial dessa estatueta?

Resolução

02. Um recipiente de cobre tem 1 000 cm3 de capacidade a 0 °C. Sua capacidade, a 100 °C, vale aproximadamente:

a) 1 017 cm3

b) 1 005 cm3

c) 1 003 cm3

d) 1 002 cm3

e) 1 001 cm3

Dado: coeficiente de dilatação linear do

 cobre = 16 · 10–6 °C–1

Resolução

Resposta: B


18
  Capítulo 02. Dilatação Térmica 18