Capítulo 03. Calorimetria

17. Propagação de Calor

O calor pode se propagar de um corpo para outro, ou da região quente para a região fria de um mesmo corpo, por três processos distintos.


18. Condução

É o processo de propagação de calor através do qual a energia passa de partícula para partícula, variando a agitação, porém sem deslocá-las.

Por exemplo, uma barra de ferro, ao receber calor numa extremidade, por condução, leva calor à outra extremidade, conforme a figura.

Na região aquecida pela chama, as moléculas têm maior agitação térmica e, por choque, as moléculas passam essa agitação (energia) para as moléculas vizinhas, sem que as moléculas sofram deslocamento.

Os materiais podem ser divididos em condutores e isolantes de calor.

Condutores: são os materiais que permitem a propagação do calor por condução.

 

Exemplo: os metais.

O calor que a extremidade 1 recebe da fonte, propaga-se por condução na barra, atingindo então a extremidade 2, onde está a mão de uma pessoa.

Isolantes: são os materiais que não permitem a propagação do calor por condução. São chamados de maus condutores.

Exemplo: plástico, isopor, madeira, cortiça, vidro.

A água é um mau condutor de calor; a condução é muito lenta, portanto consideramos a água como isolante térmico. Vejamos uma experiência na figura.

Se aquecermos o tubo conforme a figura, a água em cima chega a vaporizar, sem que o gelo, mantido embaixo pela armação, sofra fusão.

Isso acontece devido à baixa condução de calor da água.

As chaleiras e panelas usadas na cozinha devem ser metálicas, para o calor se propagar rapidamente. Os seus cabos devem ser de madeira ou plástico, por serem maus condutores, dificultando assim a chegada de calor à mão da cozinheira.


39
  Capítulo 03. Calorimetria 39