Capítulo 04. Dinâmica Impulsiva

1. Introdução

Neste módulo, trataremos de duas grandezas vetoriais, impulso e quantidade de movimento , que apresentam uma importância fundamental num segundo princípio de conservação da Dinâmica: a conservação da quantidade de movimento. O uso de tal princípio conservativo é essencial no estudo de choques entre corpos, explosões e disparos, bem como na propulsão de foguetes.

2. Impulso de Força Constante

Dizemos que uma força produz um impulso sobre um corpo quando ela age no corpo durante um certo intervalo de tempo.

Define-se impulso de uma força constante através do produto de tal força pelo intervalo de tempo de sua ação.

Pela expressão acima, observamos que o impulso é uma grandeza vetorial e, portanto, necessita de módulo, direção e sentido para seu perfeito enten-dimento. Ou seja:

No Sistema Internacional (SI), a unidade da grandeza impulso é N · s (newton vezes segundo). Como N = kg · m/s2, temos:

3. Impulso de Força Variável

Se uma força tiver direção constante e intensidade variando no decorrer do tempo, seu impulso será calculado por meio da área sob o gráfico força × tempo.

Nesse caso, podemos definir uma força média como sendo a força constante capaz de produzir o mesmo impulso da força de intensidade variável. Isto é:


4. Quantidade de Movimento

Definimos a grandeza vetorial quantidade do movimento de um corpo, também denominada momento linear, pelo produto da massa (m) do corpo pela sua velocidade .

Como a quantidade de movimento é uma grandeza vetorial, apresenta módulo, direção e sentido, temos:

No SI, a quantidade de movimento tem como unida-de kg · m/s (quilograma vezes metro por segundo).

Repare que a unidade de quantidade de movimento coincide com a de impulso, embora sejam grandezas diferentes.


24
  Capítulo 04. Dinâmica Impulsiva 24