Capítulo 05. Hidrostática

Sejam F1 a intensidade da força aplicada no êmbolo 1, de área A1, e F2 a intensidade da força aplicada no êmbolo 2 de área A2.

Como o acréscimo de pressão é transmitido integralmente a todos os pontos do líquido, temos:

p1 = p2 como

p = , então,

Sejam d1 o deslocamento do líquido 1 e d2 o deslocamento do líquido 2, temos:

V = A · d (volume do cilindro)

A = como o líquido é incompressível

Exemplo – Uma prensa hidráulica em equilíbrio recebe a ação de uma força de intensidade de 20 N no êmbolo menor. Calcule o peso de um corpo que deve ser colocado no êmbolo maior, para que a prensa fique em equilíbrio, sabendo que os êmbolos são cilíndricos, de raios de base 2 cm e 10 cm.

Resolução

F1 = 20 N

r1 = 2 cm

r2 = 10 cm

F2 = P = ?

P = 500 N

A figura abaixo mostra uma prensa hidráulica utilizada para elevar automóveis. O ar comprimido entra pela tubulação empurrando o êmbolo que, por sua vez, empurra o óleo da tubulação.

O freio de automóvel também é uma prensa hidráulica. Ao acionar o freio, o pistão de comando empurra o óleo da tubulação, que acaba comprimindo as sapatas contra o tambor da roda.

O trabalho na prensa

Note que não só na prensa hidráulica, bem como nas alavancas ou até mesmo nas polias móveis há ganho de forças, mas inevitavelmente, há perda no deslocamento.

O trabalho será sempre o mesmo nos processos acima citados.

Na prensa, teremos o seguinte:

F1 · d1 = F2 · d2


41
  Capítulo 05. Hidrostática 41